Renovação da Águia é uma das histórias ou lendas mais conhecidas e que muito pode tocar o ser humano pela resistência de mudanças necessárias durante o ciclo da vida. Somos seres humanos racionais, porém capazes de alçar vôos cada vez mais altos, vencer desafios, renovar, quebrar paradigmas…
O autor é desconhecido mas sempre vou lembrar com carinho de Gabi Morilla, que teve o cuidado de escolher esse texto para me presentear num momento muito especial da minha vida.

A Águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Vive cerca de 70 anos. Porém, para chegar a essa idade, aos 40 anos, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão.
Aos 40 anos de idade, suas unhas estão compridas e flexíveis e já não conseguem mais agarrar as presas das quais se alimenta. O bico, alongado e pontiagudo se curva, suas asas tornam-se pesadas em função da grossura de suas penas, estão envelhecidas pelo tempo.
Já se passaram 40 anos do dia em que a jovem águia lançou voo pela primeira vez.
Hoje, para a experiente águia, voar já é bem difícil! Nessa situação a águia só tem duas alternativas: deixar-se morrer ou enfrentar um doloroso processo de renovação que irá durar 150 dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e lá se recolher em um ninho que esteja próximo a um paredão. Um local seguro de outros predadores e de onde, para retornar, ela necessite dar um voo firme e pleno. Ao encontrar esse lugar, a águia começa a bater o seu bico contra a parede até conseguir arrancá-lo, enfrentando corajosamente, a dor que essa atitude acarreta. Pacientemente, espera o nascer de um novo bico, com o qual irá arrancar as suas velhas unhas. Com as novas unhas ela passa a arrancar as velhas penas.
Após cinco meses, “Esta Renascida”, sai para o famoso voo de renovação, certa da vitória e de estar preparada para viver, então, por mais 30 anos.
Muitas vezes, em nossas vidas, temos que parar e refletir por algum tempo, e dar início a um processo de renovação. Devemos nos desprender dos pré-conceitos, dos maus costumes, de tudo aquilo que não é mais útil ou importante, para continuarmos a voar. Um vôo de vitória.
Somente quando livres das barreiras e pesos do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz.
Destrua o bico do ressentimento, arranque as unhas do medo, retire as velhas penas de suas asas, permitindo o fluir de novos pensamento.
Alce um lindo vôo para uma naova vida de sonhos e realizações.
Tenha sempre uma meta: “Voe alto e seja Feliz”
EU FIZ DL!

    1 Comment

  1. Anna 24 de July de 2015 at 6:33 am

    Muito boa a analogia. Gostei 🙂